terça-feira, 30 de junho de 2009

AMOSTRAS

Dicas
Depois de muito ler tanto nos blogues amigos como em revistas da especialidade, e conversando com alguns especialistas que tiveram a paciência de me ensinarem alguns pequenos detalhes (o meu agradecimento a todos) resolvi escrever um pouco sobre as mesmas, para quem se inicia nesta modalidade não vir a cometer os mesmos erros que eu tenho vindo a cometer. Sendo eu um iniciante nesta modalidade, constatei que alguns erros podem ser devidamente corrigidos com algumas informações adicionais de muita utilidade, tanto no tipo de amostras como na forma de pescar com elas pois muitas vezes o sucesso de umas horas de pesca está relacionado com o que estamos a utilizar e a forma como estamos a trabalhar essa mesma amostra pois elas hoje são de tal forma realistas tanto em formato e cores que imitam um verdadeiro peixe mesmo na forma como nadam.
Existem 3 classes de amostras;

AMOSTRAS FLUTUANTES:
São amostras que quando paramos de recuperar voltam lentamente á superfície

AMOSTRAS AFUNDANTES:
São as amostras que ao pararmos de recuperar afundam lentamente

AMOSTRAS SUSPENSAS:
Como o seu próprio nome indica permanecem suspensas quando paramos de recuperar

Hoje em dia as amostras são de tal forma realistas tanto na cor como na forma de deslocação dentro de agua que fazem despertar a atenção dos predadores como se de presas vivas se tratassem proporcionando por isso agradáveis horas de lazer.
Como é do conhecimento geral as cores são de uma importância fundamental existindo 3 tipos de cores

CORES FRIAS:
Cores que permitem uma maior visibilidade a maior profundidade

CORES QUENTES
Cores que perdem as suas qualidades apelativas quando afundam

CORES FLUORESCENTES
Cores que em determinadas situações fazem a diferença a grande profundidade

Muitas vezes também existe um total desconhecimento sobre os tipos de pala e as funções da mesma a largura e o comprimento da pala influenciam a frequência e a profundidade da mesma o que leva por vezes a cometer erros e é normal estando na acção de pesca nós nada sentirmos e o companheiro do lado estar a ferrar peixes e quando nos aproximamos repararmos que não estamos a pescar ou com a amostra adequada, ou então existe um pequeno detalhe da qual não nos apercebemos mas que necessita ser corrigido, pois a pesca é um desporto de detalhes e de pequenos truques e deles pode estar dependente o sucesso de uma boa pescaria ou não

sábado, 20 de junho de 2009

Diário de campanha


Sabado 13/junho


14ª sortida


Mais uma vez levantei-me cedo pois ainda tinha isca e para não a deitar fora fui acabar com ela á boca da aberta,os resultados foram nulos,valeu pela companhia de alguns camaradas que tinham feito a noite e unicamente só tinham feito dois peixitos

Diário de campanha


Sexta 12/junho


13ª sortida


Levantei-me de madrugada para fazer uns lançamentos na aberta,logo ao primeiro tirei uma safia,depois de mais algums comecei a sentir peixe,tirando 4 ruivos,ao nascer do dia e estando a pescar com grilo tive um esticão bastante forte,falando para os meus botões disse cá está um bom cachaço qual não foi o meu espanto quando constatei que era uma tainha com cerca de quilo e meio tal coisa nunca me tinha acontecido a pescar com este tipo de isca

Diário de campanha


Quinta 11/junho


12ª sortida


O vento acalmou um pouco,o mar estava em optimas condições e lá fui mais uma vez pescar a salto,logo no segundo buraco fiz um sargote,alguns serrões,cachaços nem vê-los e assim se passou algumas horas

Diário de campanha


Quarta 10/junho


11ª sortida


De tarde acedendo a mais um convite do capitão Melo lá fomos até á lagoa a ver se faziamos mais uns peixitos para a caldeirada depois de muito pecorrer acabámos por desistir pois nem peixe ,nem enguias,nem uns chocos sentimos

Diário de campanha


Quarta 10/junho


10ª sortida


Levantei-me cedo para ir corricar um pouco á aberta,depois de três horas acabei por vir embora sem sentir um unico peixe

Diário de campanha


Terça 9/junho


9ª sortida


Atendendo que o mar acalmou um pouco e o vento mudou de direção fui até ás pedras fazer uma chumbadinha sem engodo e andando a salto, lá sairam uns sargotes poucos e pequenos

Diário de campanha


Segunda 8/junho


8ª sortida


O mar continua forte e o vento tambem por isso resolvi ir com o meu amigo Melo até á lagoa pescar de barco,robalos eram poucos e sem medida,foi pescar e devolver á agua lá saiu mais uma enguia que deu para aumentar o ensopado

Diário de campanha


Domingo 7/junho


7ª sortida


Atendendo ao vento forte que se fez sentir para matar o vicio depois de jantar fui um pouco á lagoa tentar fazer umas enguias para o ensopado,lá sairam algumas deu para entreter e cumprir os objectivos que me tinham feito ir á pesca

Diário de campanha


Quinta 4/junho


6ª sortida


Á noite fui até á praia fazer uns lançamentos á procura das douradas,logo ao primeiro lançamento saiu um cachacito a roçar a medida,parece que o peixe se apercebeu da mudança do estado do mar e encostou toda a gente tirou peixe,foi pena foi o vento mudar de direção e começar com rajadas acabando com a pesca

Diário de campanha


Quinta 4/junho


5ª sortida


Atendendo ás condições do mar desloquei-me mais para norte pois tinha chegado ao meu conhecimento que tinha dado uns sargotes no dia anterior,depois de engodar começou por aparecer umas taínhas e alguns sargotes deu para brincar um pouco.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Diario de campanha


Quarta 3/Junho


4ª sortida


Depois de ir ver o mar constatei que estariam as condições ideais hoje sim para ir fazer uma bóia,mar mexido sem vento,a agua bem oxigenada pensei hoje sim vou matar o borrego,depois de escolher o pesqueiro e engodar logo vi que o peixe tinha entrado,assim que comecei logo os sargotes começaram a sair,muitos pequenos mas que ia dando para brincar.

Após meia maré começaram as salemas com a fome que tinha de divertir-me continuei no pesqueiro onde acabei por fazer 26 salemas algumas para cima de quilo até que o cansaço foi-se apoderando e desisti,todas as salemas foram devolvidas á agua pois as gerações vindouras tambem precisam de brincar pois o que é importante é o desporto em si

Diario de campanha


Terça 2/Junho


3ª sortida ;


Saí com intenção de ir fazer uma bóia,mar completamente chão procurei um pesqueiro que rabujasse um pouco mas depois de muito descer e subir quebradas cheguei á conclusão que o melhor seria ir fazer um pouco de praia rsrsrs

Diario de campanha


Domingo 31/Maio


2ª sortida ;


Depois de jantar fui brincar um pouco á aberta pois tinha chegado ao meu conhecimento que tinham saído lá uns peixitos,o mar estava expectacular sem vento tudo se conjugava que seria uma boa noite de pesca.

Após alguns lançamentos tive que ir ao carro buscar agua pois tinha-me esquecido ficando junto á cana um grupinho de pescadores amigos,entre os quais o Camané (dono da casa de pesca da Foz do Arelho onde sempre se encontra iscos frescos de grande qualidade) quando regressei estranhei de ter a cana em terra e qual não foi o meu espanto uma dourada no anzol,coitada da bicha foi lá e ficou não tendo eu o prazer de a ter tirado cá para fora,ainda sairam uns bons cachaços aos outros elementos mas eu fiquei-me por uma dourada,acabou por toda a gente vir satisfeita

Diário de campanha


SABADO 30/Maio


A 1ª sortida;

Depois de chegar e ir ver o mar resolvi que depois de jantar iria fazer uns lançamentos com o intuito de analisar como estaria o pesqueiro.
Equipei-me com o material de fundo,levando como isco gasulo branco e minhoca de sangue,logo ao 1º lançamento deu para constatar que havia peixe miudo,pois os toques eram constantes saindo por fim um robalito que prontamente foi devolvido á agua para crescer,estive até ás 2 da manha e acabei por regressar a casa com a primeira grade

OS PARGOS ADORARAM

Uma isca de excelência para um peixe de excelência ,os pargos chamaram-lhe um pitéu