sábado, 21 de julho de 2012

Reliquias

Para muitos é tempo de férias e lazer junto das famílias, para outros é tempo de limpar baús e preparar o material para as pescarias que se avizinham e assim encontrar autenticas relíquias de um passado recente que não quis deixar de compartilhar com todos os companheiros que há muito me acompanham nesta nobre arte que é a pesca.

Para os mais velhos é recordar esta revista para os mais novos é dar-lhe a conhecer uma revista que na altura veio revolucionar a pesca desportiva dando a conhecer novas técnicas e novos matérias que fez mudar a pesca desportiva em Portugal falo da revista Pesca e Companhia que aqui deixo a foto da nº 1 com um muito obrigado a todos que a conceberam e que ainda hoje é guardada com muito carinho.


Será que também ainda se recordam destes fios? Acredito que para alguns faça parte de boas recordações .



quarta-feira, 18 de julho de 2012

Paulo Canal « Campeão Nacional »

Que longe estava em imaginar que um ano depois iria ver nesse braço o escudo de campeão nacional,parabens meu amigo que esse titulo seja o inicio de muitos outros.
Um abraço de felicidades Paulo
JCordeiro

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Workshop

Quarta-feira 11/Julho

Depois do cansaço do dia anterior resolvemos trocar a prática pela teoria e num local calmo falou-se de fios, iscos, e outros pequenos segredos que cada um tem tornando assim a manhã bem mais agradável, mesmo assim ainda deu para visitar algumas pedras que tinham ficado debaixo de olho para futuras incursões piscatórias.
Depois de passear um pouco pela praia o dia acabou com um jantar em casa da filhota mais nova na companhia dos 2 netos.




domingo, 15 de julho de 2012

Workshop


Terça-feira 10/Julho


Depois de almoçarmos e descansarmos um pouco lá partimos rumo a outro pesqueiro com outras características agora acompanhados por um outro companheiro para mais uma lição.,chegado á zona logo verifiquei que os acessos não eram os melhores mas lá fomos com a esperança que a pescaria fosse no mínimo igual á da manhã depois de engodar logo o peixe entrou,1º as salemas e sargotes pequenos ,depois as tainhas e bogas que não poderiam faltar e enquanto eles tiravam sargos eu limitava-me a fazer bogas e mais bogas intervalando com umas salemas e com uns sargotes pequenos pois os grandes pareciam que só tinham um caminho que era o do balde do mestre rsrsrs





sábado, 14 de julho de 2012

Workshop

Terça-feira 17/Julho

Depois de uma noite bem dormida (o que há muito não acontecia) acordei ás 4.40 e rapidamente fiquei pronto muito antes da hora marcada para me irem buscar (5.25), o F.E. apareceu pontualmente e a primeira coisa que fizemos foi parar no miradouro para ver como estava o mar e como soprava o vento pois só em função disso ele escolheria o pesqueiro e aí tive a 1ª lição pois o mar parecia uma auto-estrada para as Berlengas, foi-me explicado quais os barcos que estavam na pesca do carapau e 2 que estavam a fazer outro tipo de pesca devido á localização dos mesmos e do tipo de iluminação e logo partimos em direcção ao local por ele escolhido.
Aí chegados começou verdadeiramente a aula teórica e a preparação do engodo, rapidamente passei á fase de pesca e aí começou logo a ser notória a grande diferença entre o aluno e o mestre que aos poucos e com muita paciência o mestre foi tentado corrigir o que estava mal levando-me a apanhar uns peixinhos o que há muito não acontecia.
Como a maré mudou entretanto ele quis que mudássemos de pesqueiro para num outro agora a vazar eu pudesse ter novos conhecimentos e fizesse outro tipo de pesca agora talvez mais de acordo daquilo que eu sempre fiz mas que nem sempre é aconselhável em todos os pesqueiros, rapidamente se chegou a hora de almoço e também de ir buscar mais sardinha e isco para a pescaria da tarde onde teríamos a companhia de mais um pescador.


sexta-feira, 13 de julho de 2012

Workshop

Segunda-feira 9/ Julho

De volta ao paraíso, para descansar e fazer um Workshop de pesca com um grande amigo que resolveu gastar um pouco do seu tempo a ensinar-me novas técnicas e ao mesmo tempo ter a possibilidade de ver um fim de tarde tão belo com as Berlengas em fundo e assim podermos aliviar o cinzento e o stress que temos dentro de nós.




domingo, 1 de julho de 2012

Grades,,Grades,,Grades

Dia 14/15 /Junho

Como a falta de peixe era notória só tinha duas opções ou fazia peixe ou se não fizesse arrumaria a tralha e fazia-me á estrada para voltar para Sacavém e passar aqui uns dias para com o meu grupo chorar as mágoas, depois de alguns lançamentos em que o isco veio intacto juntei-me a umas pessoas que andavam aos caranguejos, conversa puxa conversa e quando olho para a cana estava ela toda dobrada e o carreto a cantar, logo pensei é agora corri para a cana e como a corrente já era forte começo a ver que a Amarelinha não tinha intenções de ser apanhada e começou a fugir para onde existiam barcos e cordas sabendo eu que se ela o fizesse eu seria derrotado e assim foi, bem me molhei, bem procurei que ela viesse para fora mas acabou por ser mais forte do que eu e ao fim de algum tempo disse-me adeus grrrrrr, danado mandei a cana e carreto para a areia e sentei-me a pensar «O QUE SE PASSA» vale mais é fazer a trouxa e guardar para Outubro para uma nova investida e assim pensei e assim fiz agora é só aguardar por novas pescarias


Grades,,Grades,,Grades

Dia 14/Junho

Voltei a ir até á pedra para mais uma pesca á bóia e desta vez com a companhia sempre agradável do meu amigo Jorge, pois ou eu ando com mau-olhado rsrsrs ou o peixe foge mesmo de mim, engodei, engodei mas peixe nem senti-lo o único que saiu foi o Jorge que tirou 3 bodiões 1 sargote e 1 peixe agulha que parecia um peixe espada rsrsrs eu nem uma escama, valeu pela companhia e pelo dia espectacular que estava.


Grades,,Grades,,Grades

Dia 13/Junho

Levantei-me e fui ver o mar e constatei que estava com óptimas condições para ir fazer uma bóia, vim a casa buscar a sardinha e o material e dirigi-me para um pesqueiro que estava debaixo de olho, e que boas condições ele apresentava, foi uma descida vertiginosa pois acreditava que ia tirar uns peixitos, depois de engodar comecei rapidamente a sentir peixe miúdo e pensei para os meus botões é hoje!!!!!! Mas afinal acabou por ser unicamente fogo de vista pois alem de uns sargotes de pouca importância vieram as bogas que derretiam o isco todo.


OS PARGOS ADORARAM

Uma isca de excelência para um peixe de excelência ,os pargos chamaram-lhe um pitéu