domingo, 1 de julho de 2012

Grades,,Grades,,Grades

Dia 14/15 /Junho

Como a falta de peixe era notória só tinha duas opções ou fazia peixe ou se não fizesse arrumaria a tralha e fazia-me á estrada para voltar para Sacavém e passar aqui uns dias para com o meu grupo chorar as mágoas, depois de alguns lançamentos em que o isco veio intacto juntei-me a umas pessoas que andavam aos caranguejos, conversa puxa conversa e quando olho para a cana estava ela toda dobrada e o carreto a cantar, logo pensei é agora corri para a cana e como a corrente já era forte começo a ver que a Amarelinha não tinha intenções de ser apanhada e começou a fugir para onde existiam barcos e cordas sabendo eu que se ela o fizesse eu seria derrotado e assim foi, bem me molhei, bem procurei que ela viesse para fora mas acabou por ser mais forte do que eu e ao fim de algum tempo disse-me adeus grrrrrr, danado mandei a cana e carreto para a areia e sentei-me a pensar «O QUE SE PASSA» vale mais é fazer a trouxa e guardar para Outubro para uma nova investida e assim pensei e assim fiz agora é só aguardar por novas pescarias


1 comentário:

  1. como é companheiro! vamos apanhar umas grades por aqui, ou já estas farto. eu vou começar agora, penso eu!!!!!!

    ResponderEliminar

OS PARGOS ADORARAM

Uma isca de excelência para um peixe de excelência ,os pargos chamaram-lhe um pitéu